vendas@2001video.com.br
carrinho
0 itens
R$
0,00
Total

Confira nossa seleção especial com produções inéditas no circuito comercial brasileiro, ou seja, que não passaram nos cinemas. Agora em DVD na 2001, elas têm a chance de serem descobertas pelo grande público.



Sonhos de um Sedutor

Sonhos de um Sedutor

((Play It Again, Sam), Estados Unidos, 1972, Colorido, 85 min.)

Classicline - Comédia

Direcao: Herbert Ross

Elenco: Woody Allen,Diane Keaton,Tony Roberts,Jerry Lacy,Susan Anspach,Jennifer Salt,Joy Bang,Viva,Susanne Zenor,Diana Davila

Sinopse:  
Allan Felix (Woody Allen), um crítico de cinema que consome filmes ansiosamente e idolatra “Casablanca”, é abandonado por Nancy Felix (Susan Anspach), sua mulher, que quer o divórcio pois não agüenta mais a insegurança emocional dele. Incapaz de lidar com este momento conturbado da sua vida, Allan busca consolo nos filmes que ama enquanto imagina Humphrey Bogart (Jerry Lacy) lhe dando conselhos de como deve lidar com as mulheres, sendo que estes conselhos são desprovidos de qualquer sutileza. Paralelamente, um casal de amigos, Dick Christie (Tony Roberts) e Linda Christie (Diane Keaton), tentam ajudar Allan lhe arrumando encontros com outras mulheres, mas todos resultam em total fracasso em virtude da insegurança e nervosismo de Allan. Finalmente Allan percebe que tem passado mais tempo com Linda do que com qualquer outra mulher e sente-se atraído por ela, pois é a única mulher que ele se sente realmente à vontade. Linda se mostra receptiva às investidas de Allan, pois Dick tem trabalhado tanto que ela se sente abandonada. Mas Allan carrega um sentimento de culpa, por estar amando a mulher de seu amigo. 

Comentario: PIONEIRA EM TRAZER GRANDES FILMES INÉDITOS PARA O MERCADO BRASILEIRO, A 2001 VÍDEO APRESENTA, EM PARCERIA COM A CLASSICLINE, UM DOS PRIMEIROS SUCESSOS DE WOODY ALLEN: SONHOS DE UM SEDUTOR, UMA DIVERTIDA HOMENAGEM AO CLÁSSICO CASABLANCA. 
 
Então com dois trabalhos na direção (O que Há, Tigresa?, Um Assaltante Bem Trapalhão) e algumas participações como ator (Que é que Há, Gatinha?, Cassino Royale), Woody Allen apresentou a peça Play it Again, Sam pela primeira vez na Broadway em 12 de fevereiro de 1969. Ele escreveu e estrelou o espetáculo, que fez grande sucesso, alcançando a marca de 453 apresentações, até ser adaptado pelo próprio Allen para a telona. Atualmente, uma versão brasileira da peça – com George Sauma, Georgiana Góes, Luana Piovani e Heitor Martinez – está em cartaz no Teatro Ipanema, no Rio de Janeiro. 
 
Dirigida por Herbert Ross (A Garota do Adeus, Rapaz Solitário), a comédia Sonhos de um Sedutor sai pela primeira vez em DVD no Brasil e marca o início da parceria entre Allen e Diane Keaton no cinema, que atingiria o ápice com os Oscars de Noivo Neurótico, Noiva Nervosa em 1978. 
 
Sonhos de um Sedutor começa com o inesquecível final de Casablanca sendo assistido por Allan Felix (Allen), um neurótico crítico de cinema obcecado pelo clássico de 1940. Ele sofre um baque ao ser deixado pela esposa que, questionada sobre o porquê da separação, responde com franqueza desconcertante: “Não suporto o casamento. Não é divertido, você me sufocou. Não há comunicação, e você nem me agrada fisicamente”. 
 
Tirado de sua zona de conforto, o crítico recebe apoio moral de Linda (Diane) e Dick (Tony Roberts), que resolvem ajudá-lo a superar o divórcio por meio de encontros com outras mulheres. Típico intelectual ansioso, autodepreciativo e hipocondríaco de Allen, o protagonista recorre nos momentos de crise a um Humphrey Bogart imaginário, que lhe dá conselhos amorosos. Com o rosto sob as sombras, o clássico casaco e voz característica, o ator Jerry Lacy dá vida ao lendário ator de Casablanca, transformado em guru de masculinidade para Allan, que precisa aprender a ser “durão” como Bogart era nos filmes. “O Mundo é cheio de mulheres. Tudo o que tem a fazer é assoviar.”


Clique para comprar este produto



Tony Curtis - Conduzido ao Estrelato

Tony Curtis - Conduzido ao Estrelato

((Tony Curtis - Le Gamin Du Bronx), Franca, 2011, Colorido com partes em preto-e-branco, 96 min.)

Imovision - Documentário

Direcao: Ian Ayres

Elenco: Tony Curtis,jill curtis,Hugh Hefner,Harry Belafonte

Sinopse:  
Tony Curtis, o homem que influenciou Elvis Presley e James Dean, foi um dos primeiros ídolos adolescentes e uma das maiores estrelas de cinema da história. Desde suas origens, até sua inesperada fama e seu jeito infame com as mulheres, Tony Curtis: Conduzindo ao Estrelato apresenta a vida de Curtis dos trapos à gloria. O diretor Ian Ayres explora como ninguem o comportamento rebelde de um dos mais impactantes galãs de Hollywood, sua infância conturbada, sua luta como um judeu em Hollywood, seu caso amoroso com Marilyn Monroe e seus casamentos com as atrizes Janet Leigh e Christine Kaufman, além de sua coragem ao enfrentar o racismo de cores nos Estados Unidos com The Defiant Ones ( o filme que deu a ele a indicação ao Oscar) e suas 6 décadas de carreira que o tornaram a maior celebridade de todos os tempos.

Comentario: Primo de Barbara Eden, a estrela de Jeannie é um Gênio, o documentarista Ian Ayres conheceu os bastidores de inúmeros astros e estrelas da velha guarda de Hollywood. Depois de abordar o último casamento de Tony Curtis (1925-2010) em The Jill & Tony Curtis Story, Ayres decidiu enfocar a vida do astro em outro documentário, Conduzido ao Estrelato. 
 
Filho de imigrantes húngaros, Tony Curtis nasceu em 3 de junho de 1925, no Bronx (Nova York, EUA), e, apesar da pouca experiência como ator, virou um fenômeno da cultura pop nos anos 1950. O filme explora essa faceta, comparando-o a símbolos sexuais como Marilyn Monroe e Rock Hudson. 
 
Por meio de detalhes de alcova fornecidos pelo próprio astro, sua trajetória é contada desde a infância pobre durante a Grande Depressão americana, a paixão pelo cinema e o alistamento militar. De volta da marinha, Curtis começou a estudar arte dramática em Nova York, e a chamar atenção por sua aparência. Um inesperado contrato de 7 anos com a Universal lhe deu a chance de estrear no cinema em 1949, com uma ponta no noir Baixeza. 
 
Contudo, não foram trabalhos esporádicos como ator coadjuvante que lhe deram visibilidade, mas materiais promocionais para o estúdio, como cartazes e revistas que o transformaram em uma espécie de pin up boy. Depois de apenas dois anos em Hollywood, Curtis virava um astro sem currículo graças ao apoio do público adolescente. E foi assim que começou a sua escalada para a fama, com papéis de destaque em sessões de matinê e um casamento midiático com Janet Leigh, a estrela de Psicose. 
 
Em depoimentos, Curtis lembra de clássicos que ajudaram a lhe dar credibilidade como ator: Trapézio (1956), A Embriaguez do Sucesso (1957), Acorrentados (1958) – que lhe valeu sua única indicação ao Oscar – e o melhor de todos, Quanto Mais Quente Melhor (1959). Entre as fofocas de bastidores da comédia de Billy Wilder, o ator lembra dos sucessivos atrasos da musa Marilyn Monroe, que costumava chegar ao set à tarde, enquanto todos estavam prontos pela manhã. 
 
Depois de A Corrida do Século (1965), sua carreira entra em declínio, com raros bons papéis no cinema, e o documentário se concentra ainda mais na vida pessoal do astro, com seus inúmeros divórcios e decepções profissionais, estabelecendo a típica narrativa “rise and fall” (ascensão e queda) de um artista.


Clique para comprar este produto



Tirando a Sorte Grande

Tirando a Sorte Grande

((The Pelayos), Espanha, 2012, Colorido, 101 min.)

Playarte Pictures - Cinema Europeu

Direcao: Eduard Cortés

Elenco: Gonzalez Arantxa,Daniel Brühl,Sonia Casademont,Hui Chi Chiu,Xelo Curiel,Eduard Fernández,Lluís Homar,Ferran Lahoz,Rachel Lascar,Micka Luna

Sinopse: Esta é a história real de uma família que descobriu uma forma de ganhar legalmente nas roletas, acumulando milhares de dólares em jogatinas ao redor do mundo. Graças a um método infalível, baseado nas imperfeições do equipamento, seu estilo de vida muda radicalmente, muito mais do que seus sonhos mais loucos lhes permitissem imaginar, abrindo as portas para que eles quebrem a banca em qualquer cassino no qual sentem para jogar de Las Vegas a Paris, passando por Madri e Amsterdã.

Comentario: Depois de Hollywood mergulhar no universo dos cassinos e seus jogadores em Quebrando a Banca (2008), chegou a vez dos europeus abordarem o assunto em Tirando a Sorte Grande. Produzido na Espanha, o filme é estrelado por Lluís Homar (Os Olhos de Lúcia) e Daniel Brühl (Edukators) como pai e filho, empenhados em colocar em prática um método para vencer nas roletas. Os dois organizam uma equipe em família e, juntos, vão apostar inicialmente 1 euro nos mesmos números, noites seguidas. 
 
Apostas que servirão de teste para a aferição dos números mais vitoriosos na roleta, em um programa de computador. Tudo perfeito até o comportamento humano entrar em cena, com brigas internas e um dos comparsas do grupo começar a sair com uma crupiê do cassino.


Clique para comprar este produto



O Grande Ano

O Grande Ano

((The Big Year), Estados Unidos, 2011, Colorido, 99 min.)

20th Century Fox Home Entertainment - Comédia

Direcao: David Frankel

Elenco: Jack Black,Zahf Paroo,John Cleese,Owen Wilson,Rosamund Pike,Steve Martin,Kevin Pollak,Joel McHale,JoBeth Williams,Paul Campbell

Sinopse: Brad Harris (Jack Black), Stu Preissler (Steve Martin) e Kenny Bostick (Owen Wilson) estão meio que passando por uma crise em suas respectivas vidas. Eles se conhecem e têm comum a paixão pelos pássaros, mas se o que une os três é o amor pelos seres alados, o que vai separá-los é uma competição de vigília onde o trio disputa quem consegue identificar as espécies mais raras na América do Norte. Será que isso vai dar certo?

Comentario: A comédia dramática sobre competição de observação de pássaros acompanha as transformações pessoais dos personagens de Owen Wilson, Jack Black e Steve Martin ao longo de um ano. Comum nos EUA, essa disputa é narrada em off pelo ex-Monty Python John Cleese no filme dirigido por David Frankel (O Diabo Veste Prada) e coestrelado por Rosamund Pike, Brian Dennehy, Dianne Wiest e Anjelica Huston.


Clique para comprar este produto



Dublê do Diabo

Dublê do Diabo

((The Devil's Double), Antilhas Holandesas,Belgica, 2011, Colorido, 103 min.)

Califórnia Filmes - Drama

Direcao: Lee Tamahori

Elenco: Dominic Cooper,Ludivine Sagnier,Raad Rawi,Philip Quast,Mimoun Oaand#xEF;ssa,Khalid Laith,Dar Salim,Mem Ferda,Nasser Memarzia,Pano Masti

Sinopse: Latif Yahia é afastado de sua família e forçado a se tornar o dublê de Uday Hussein, filho lunático de Saddam Hussein. O filme mostra a profunda e depravada rede de carrões, dinheiro, mulheres fáceis, corrupção livre e violência na qual Yahia ficou preso por muitos anos.

Comentario: “Já viu o suficiente?”, pergunta um dos assessores de Saddam Hussein a Latif, o sósia contratado por Uday, filho do ditador em Dublê do Diabo. O espectador também não terá visto horror suficiente nessa produção baseada em fatos inacreditavelmente reais. Com ritmo ágil e estética de videoclipe, o filme mergulha na violência, luxo e corrupção do governo iraquiano nos anos 1990, transformando a trajetória cheia de excessos do sádico Uday em um Scarface do Oriente Médio. Ator inglês acostumado a papéis de coadjuvante (Mamma Mia!, Educação), Dominic Cooper tem o papel de sua vida, interpretando Uday e Latif como indivíduos distintos e invariavelmente opostos. É a dinâmica entre os dois que impulsiona o principal conflito da trama: um sósia que não consegue anular a própria personalidade para viver a do outro.


Clique para comprar este produto