Televendas (11) 4565 2001
carrinho
0 itens
R$
0,00
Total
Frete


Ruby Sparks - A Namorada Perfeita

R$ 16,90

Comprar

Ruby Sparks - A Namorada Perfeita (Blu-Ray)

(Ruby Sparks)

Opinião 2001

EDITORA DO CINE GARIMPO, A JORNALISTA SUZANA VIDIGAL ESCREVE TODA QUARTA-FEIRA PARA O BLOG DA 2001, DESTACANDO UM GRANDE LANÇAMENTO PARA LOCAÇÃO OU VENDA NAS LOJAS DA REDE 
 
Esta não é uma comédia romântica tradicional, com aquela linguagem visual e temática bem conhecida. Ruby Sparks – A Namorada Perfeita faz parte daqueles filmes independentes, em que o ator principal não é exatamente um homem bonito e descolado, em que o roteiro privilegia a imaginação, e não o previsível (isso não é uma crítica, só uma constatação de diferentes linguagens e escolhas). Dirigido pelos mesmos diretores do premiado Pequena Miss Sunshine, tem como roteirista justamente Zoe Kazan, a atriz-escritora que interpreta a tal namorada perfeita, Ruby Sparks. Para seu namorado no filme, Zoe pensa em Paul Dano, seu companheiro na vida real. Portanto, Zoe cria um roteiro para alguém que depois vai criá-la nas páginas de um livro. 
 
Explico. Paul Dano (também em Pequena Miss Sunshine, Os Acompanhantes) é Calvin, um jovem escritor que fez muito sucesso com seu primeiro livro, e agora sofre da síndrome do segundo. Está emperrado, não consegue escrever, não tem ideias novas. Segundo ele, isso acontece por causa de seus namoros frustrados e sua dificuldade de relacionar-se com alguém. Até que sonha com uma garota e resolve transformá-la em sua personagem. Dá a ela o nome de Ruby Sparks, cria rosto, personalidade, vontades, forma de ser. Até que ela se torna realidade e vira sua vida de ponta-cabeça. 
 
Ruby Sparks é tudo que Calvin sonhou. Até os problemas começarem a aparecer, como na vida real. Munido de sua máquina de escrever, Calvin dita as regras do jogo. Afinal, estamos falando do criador e de sua criatura, dominado e dominante. Será? É esse o ponto do filme: onde a imaginação esbarra na realidade? E mais: por que é que temos que saber onde está esse limite? Não dá só para fingir que tudo aconteceu realmente daquela maneira? Para mim, dá sim. Calvin e Ruby vivem uma história gostosa de ver, com um final ainda mais bacana. Deixe-se levar. Tem algo parecido com o clima de 500 Dias Com Ela, Medianeras, Por Uma Vida Melhor, todos os filmes adoráveis. 
 
Cliente da 2001, Suzana Vidigal é jornalista e editora do Cine Garimpo, blog com dicas de cinema e DVD para você escolher de acordo com seu estado de espírito.

Comentários Clientes



Ou,
Compartilhe seus comentários através do Facebook