vendas@2001video.com.br
carrinho
0 itens
R$
0,00
Total

O cinema pode ser um espelho de diferentes épocas e sociedades. Por isso, a 2001 convida profissionais de diferentes áreas ligadas à sétima arte para recomendar ou analisar um filme que considerem relevante, sob a luz de diferentes universos: filosofia, psicanálise, educação, artes etc.



A Força do Carinho

A Força do Carinho


Indicação::

PIONEIRA EM TRAZER GRANDES FILMES INÉDITOS PARA O MERCADO BRASILEIRO, A 2001 VÍDEO COMEÇA O ANO COM MAIS UM VENCEDOR DO OSCAR 
 
Um novo ano começa e a 2001 Vídeo continua descobrindo filmes importantes para os amantes da sétima arte. A partir de 05 de fevereiro, sai para locação e venda A Força do Carinho (1983), sensível drama estrelado por Robert Duvall. 
 
Depois de Rede de Intrigas, Gente Como a Gente e Julia, chegou a vez de mais um ganhador do Oscar ser lançado em DVD no Brasil, com exclusividade na 2001. A Força do Carinho conquistou as estatuetas de melhor ator (Duvall) e roteiro original (Horton Foote), além de concorrer nas categorias de melhor filme, direção (Bruce Beresford) e canção (Over You). Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes, o filme também valeu a Duvall o Globo de Ouro de melhor ator e o prêmio do Círculo de Críticos de Nova York. 
 
Considerado um dos 10 melhores filmes de 1983 pelo jornal The New York Times, o drama foi escrito pelo dramaturgo texano Horton Foote (1916–2009). Chamado de “o Tchekhov rural” pelo amigo Duvall, Foote ganhou notoriedade nos EUA por seu olhar afetuoso para as relações humanas no interior da América, em peças teatrais e longas-metragens como O Sol é para Todos (1962), Ratos e Homens (1992) e O Regresso para Bountiful (1985). 
 
A Força do Carinho é a crônica agridoce de um homem que, após experimentar o sucesso e os reveses da fama, agora amarga o alcoolismo, a perda da família e a solidão, abandonado em um motel de beira da estrada no interior do Texas. Bêbado e sem dinheiro, Mac Sledge (Duvall) começa a trabalhar no posto de gasolina de uma jovem viúva, Rosa Lee (Tess Harper). O antigo astro country finalmente deixa de lado o alcoolismo e encontra paz ao lado da religiosa Rosa. Os dois se casam e Mac torna-se uma figura paterna para o filho dela, Sonny, de 6 anos. 
 
A vida pacata do casal é interrompida pela passagem de um jornalista pelo posto de gasolina. Ele reconhece Mac e o aborda para uma entrevista, que o ex-músico recusa. O reencontro com a ex-mulher, hoje uma cantora country de sucesso, e a problemática filha adolescente despertam nele sentimentos conflitantes. É o passado que volta para assombrá-lo, e despertar uma triste melancolia. Internamente, Mac reflete sobre quem é, e aquilo que sabe fazer de melhor, sem, no entanto, abandonar o seu novo estilo de vida. 
 
Em um belo trabalho de composição de personagem, Duvall expressa com o olhar uma gama de sensações; a partir da economia de seus gestos, o ator evoca indícios – e subtexto – sobre seu passado, raramente explicitado na trama. Seu desencanto com o passado é expresso também em um diálogo marcante: “Eu não confio na felicidade. Nunca confiei, e nunca irei confiar”. 
 
Precursor de Coração Louco (2009), que também trazia como protagonista um cantor country fracassado (interpretado por Jeff Bridges), A Força do Carinho evita o sentimentalismo e nunca cai no melodrama, deixando ao espectador preencher as lacunas, as emoções não explicitadas em palavras. 
 
Mais do que resgatar um vencedor do Oscar, até então inédito em DVD no Brasil, o lançamento do filme relembra o talento do grande Robert Duvall. 
 
Indicado seis vezes ao prêmio, o ator confere dignidade e realismo tocante à jornada de um homem em busca de redenção. Redenção compartilhada pelo espectador, testemunha da incrível humildade – e lição de vida – de Mac.


A Força do Carinho

((Tender Mercies), Estados Unidos, 1983, Colorido, 92 min.)

Classicline - Drama

Direcao: Bruce Beresford

Elenco: Robert Duvall,Tess Harper,Betty Buckley,Wilford Brimley,Ellen Barkin,Allan Hubbard,Lenny von Dohlen,Paul Gleason,Michael Crabtree,Norman Bennett

Sinopse:  
"Robert Duvall “criou outro personagem inesquecível” (THE NY TIMES) na pele de Mac Sledge, um cantor de músicas country que guarda amargas recordações de sua vida. Com sua carreira em declínio, ele se entrega de vez à bebida, até que, num hotel do Texas, conhece Rosa Lee (Tess Harper), uma viúva com um filho de 10 anos. O encontro entre estas duas almas cheias de problemas faz com que se aproximem e comecem um relacionamento repleto de obstáculos e desafios que trará ao casal novos motivos para buscar a felicidade. “A Força do Carinho” ganhou Oscars® nas categorias de Melhor Ator (Robert Duvall) e Melhor Roteiro Original, e foi indicado para Melhor Canção Original, Filme e Melhor Diretor. Também foi vencedor do Globo de Ouro de Melhor Ator, onde também concorreu em cinco outras categorias, e disputou diversos outros prêmios. " 


Clique para comprar este produto



A Orfã

A Orfã


Indicação::

Embora traga ecos de outras produções de horror com crianças como antagonistas, entre elas o clássico A Profecia e A Cidade dos Amaldiçoados (de John Carpenter), A Órfã evita elementos sobrenaturais, transformando a convivência com uma menina russa adotada no verdadeiro horror vivido pela família dos personagens de Peter Sarsgaard e Vera Farmiga – indicada ao Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante por Amor sem Escalas (previsto para estrear no Brasil em 22 de janeiro). Com muitos sustos e optando pelo terror psicológico, o filme guarda para o fim uma original explicação para o comportamento da pequena órfã.


A Orfã

((Orphan), Alemanha,Canada,Estados Unidos,Franca, 2009, Colorido, 123 min.)

Warner Bros - Suspense

Direcao: Jaume Collet-Serra

Elenco: Vera Farmiga,Peter Sarsgaard,Isabelle Fuhrman,CCH Pounder,Jimmy Bennett,Margo Martindale,Karel Roden,Aryana Engineer,Rosemary Dunsmore,Jamie Young

Sinopse: Depois que Kate sofre um aborto, ela e seu marido decidem adotar uma criança, mesmo já tendo dois filhos biológicos. A escolhida é Esther, uma doce garota de 9 anos que o casal conhece num orfanato. No entanto, logo que a menina chega ao seu novo lar, Kate desconfia que ela pode não ser o que parece.


Clique para comprar este produto



Guerra ao Terror

Guerra ao Terror


Indicação::

Primeira mulher a conquistar o Oscar de melhor direção, Kathryn Bigelow (em cartaz nos cinemas com A Hora Mais Escura) acompanha a dura realidade de um grupo de soldados americanos de elite durante um período de 38 dias no Iraque. Nessa perigosa jornada, enfrentam inúmeras dificuldades, como os insurgentes que promovem atentados na região. 
 
Os EUA invadiram o Iraque sem a autorização do Conselho de Segurança das Nações Unidas em 20/3/2003, sob a acusação de que o ditador Saddam Hussein estava desenvolvendo armas de destruição em massa. Até hoje, nenhuma dessas armas foi encontrada e o saldo na região é de milhares de mortos. 
 
O personagem central do filme é Will, destemido sargento especialista em desarmar explosivos, cujo trabalho (insano) equivale a uma roleta russa diária. Como em Soldado Anônimo, de Sam Mendes, as tropas americanas vivem imersas em sua própria alienação, condicionadas ao desprezo pela população e habitat estrangeiros. Em participações especiais, Ralph Fiennes e Guy Pearce. 
 
VENCEDOR DO OSCAR 
Melhor filme, direção, roteiro original, montagem, edição de som e mixagem de som


Guerra ao Terror

((The Hurt Locker), Estados Unidos, 2008, Colorido, 130 min.)

Imagem Filmes - Guerra

Direcao: Kathryn Bigelow

Elenco: Jeremy Renner,Anthony Mackie,Brian Geraghty,Guy Pearce,Ralph Fiennes,David Morse,Evangeline Lilly,Christian Camargo,Suhail Aldabbach,Christopher Sayegh

Sinopse: Para um grupo de soldados americanos, alguns dias os separam do retorno para casa. Um período relativamente curto, se não fosse por tantas ocorrências que transformassem esse fim de jornada em um verdadeiro inferno. As forças armadas precisam de especialistas não só nos campos de combate mas também no dia a dia, na proteção do grupo contra insurgentes que promovem atentados, matando milhares de cidadãos. Conheça a dura realidade destes soldados e descubra que, ao contrário do que todos eles pensam, a luta jamais terminará.


Clique para comprar este produto



A História do Mundo - Parte 1

A História do Mundo - Parte 1


Indicação::

Muito antes da atual moda de paródias, de Todo Mundo em Pânico (2000) a Espartalhões (2008), Mel Brooks já se especializara nesse "gênero", criando clássicos como Banzé no Oeste (1970) e O Jovem Frankenstein (1974). Em A História do Mundo, Brooks apresenta uma proposta muito mais ambiciosa, espécie de excursão por diversas eras da civilização: a Idade da Pedra, com "nossos antepassados", citação a 2001 - Uma Odisséia no Espaço e o primeiro crítico da história; o Velho Testamento; o Império Romano, com o ator Dom DeLuise como um devasso Nero; a Inquisição Espanhola, transformada em musical da Metro, com números aquáticos dignos de Esther Williams, e o próprio Brooks cantando; e a Revolução Francesa. A solene narração, apropriada para tantas lições de história, é de Orson Welles, e o título do filme é uma brincadeira com o excesso de continuações cinematográficas em Hollywood. No final, algumas seqüências da suposta segunda parte são apresentadas, como Hitler dançando e cantando no gelo, uma brincadeira envolvendo Star Wars e, é claro, o judaísmo sempre referenciado pelo diretor, que mistura referências e associações inteligentes ao mais puro besteirol. Ao ser confrontado sobre algumas piadas, Brooks costumava dizer que seus filmes estavam abaixo da vulgaridade.


A História do Mundo - Parte 1

((History of the World: Part I), Estados Unidos, 1981, Colorido, 92 min.)

20th Century Fox Home Entertainment - Comédia

Direcao: Mel Brooks

Elenco: Mel Brooks,Dom DeLuise,Madeline Kahn,Harvey Korman,Cloris Leachman,Ron Carey,Gregory Hines,Pamela Stephenson,Shecky Greene,Sid Caesar

Sinopse: Mel Brooks e sua hilária versão da história do mundo provam que nada é sagrado e nos mostram de forma muito bem humorada o que aconteceu de verdade através dos tempos. Esta comédia delirante tem de tudo, de uma sátira ao filme 2001, Uma Odisséia no Espaço, ao relato legítimo do que aconteceu no Império Romano (Mel Brooks interpreta um filósofo fazendo uma "apresentação" no palácio de César), na Revolução Francesa (Mel Brooks é o rei Luís XVI) e na Inquisição Espanhola (um grande número musical com monges e freiras nadando). Mel Brooks e sua trupe estão em sua melhor forma. 


Clique para comprar este produto



Santiago

Santiago


Indicação::

Santiago Batiotti foi mordomo na casa da família de João Moreira Salles entre 1956 e 1986. Em 1992, o cineasta iniciou as filmagens de uma longa entrevista com o mordomo que fez parte de sua infância, mas o material gravado (cerca de nove horas de conversas) não foi editado e finalizado, até que, em 2005, resolveu voltar ao projeto. Em caminho semelhante ao do mestre Eduardo Coutinho em Cabra Marcado para Morrer, João Moreira Salles retoma o material original mudando seu enfoque: do foco principal na personalidade sensível e incomum de Santiago, passa a refletir sobre sua relação (distante) com o mordomo, não só no passado, mas principalmente durante o período de filmagem. Salles assume uma postura confessional, como quando afirma perto do final: “durante os cinco dias de filmagem, eu nunca deixei de ser o dono da casa e ele nunca deixou de ser o nosso mordomo”. Com fotografia em preto e branco de Walter Carvalho (Lavoura Arcaica) e um belo trabalho de edição, o documentário é um mergulho nas memórias e subjetividade de seu criador (Salles) e seu objeto de estudo (Santiago).


Santiago

((Santiago), Brasil, 2007, Preto-e-branco, 107 min.)

Videofilmes - Documentário

Direcao: João Moreira Salles

Elenco:

Sinopse: Santiago começa como um filme sobre o malogro de um filme que não foi montado. As imagens de Santiago foram rodadas em 1992, mas por incapacidade do diretor em editá-las, permaneceram intocadas por mais de 13 anos. Em 2005, o diretor voltou a elas. Queria compreender a razão de seu insucesso. Santiago havia sido o mordomo da casa em que crescera, um homem de vasta cultura e prodigiosa memória, cujas idiossincrasias deixaram uma marca profunda nas lembranças da família. Ao refletir sobre o tempo que separa a filmagem de 92 da edição de 2005/2006, o narrador, aos poucos, se aproxima do segredo do filme. Santiago é este lento processo de desvelamento, um filme sobre identidade, a memória e a própria natureza do documentário.


Clique para comprar este produto